Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [ROOT/plugins/Abrates/src/Controller/AppController.php, line 44]
Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes

Notícia

09 Ago
  • nenhum comentário
    Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto

Evento debate aspectos regulatórios e combate a pirataria de sementes

Resgate da relação de confiança entre produtor de semente e agricultor e a união da cadeia sementeira pode ser o caminho vencer a pirataria

Para que se estimule a pesquisa e a inovação em um país, é preciso assegurar condições de trabalho, propriedade intelectual e retorno para as empresas investidoras. Na pesquisa agrícola não é diferente. 

É preciso debater os aspectos regulatórios, buscar atualização da Lei de Proteção de Cultivares e um diálogo honesto entre todos os envolvidos na cadeia de produção de sementes e mudas do país, desde pesquisadores até o agricultor. Este foi o eixo central da programação desta quarta-feira (9) no XX Congresso Brasileiro de Tecnologia de Sementes, que segue até amanhã, em Foz do Iguaçu.

O presidente da Associação Brasileira de Obtentores Vegetais (BRASPOV), Ivo Carraro, defendeu a necessidade de atualização da Lei de Proteção de Cultivares (Lei 9.456/97). Segundo ele, nos últimos 20 anos, a LPC garantiu um aumento significativo nos investimentos em pesquisa e inovação para a agricultura, principalmente nos grãos e fibras. A soja teve mais de mil cultivares certificadas e protegidas neste período. 

Por outro lado, brechas na legislação e a falta de clareza nos termos de penalização de usuários e comerciantes infratores provocam um crescimento do uso ilegal de sementes e mudas protegidas.  No feijão, por exemplo, o uso de semente informal chega a 80%. “O que desestimula os investimentos em pesquisa da espécie e acaba também afastando o agricultor de outras tecnologias que podem levar a maior rentabilidade”, explica . 

A brecha também acaba sendo utilizada nas grandes culturas.  Estima-se que 30% das lavouras de soja sejam plantas com sementes não comerciais. Como solução para a questão, Ivo defende a necessidade de diálogo e interação entre os elos da cadeia sementeira nacional. “O debate sobre a LPC é necessário e estratégico. A função desta lei é garantir o abastecimento e a segurança alimentar e a sustentabilidade da agricultura. Esse assunto merece ser debatido de forma mais ampla e completa com a sociedade no Congresso Nacional”, conclui.

Em sua palestra, o diretor do Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas do Ministério da Agricultura (MAPA), André Felipe Peralta, afirmou que alguns ajustes na legislação podem ser benéficos e permitir uma penalidade mais adequada para quem comercializa sementes salvas, mas aponta a dificuldade do Ministério em garantir a fiscalização de todo o território nacional. “É uma luta desigual. Temos milhares de produtores e não é possível fiscalizar isso tudo”, explica. 

O caminho parece estar na união da cadeia produtiva e na percepção de valor da semente, que vai muito além do germoplasma, trazendo biotecnologia e tratamento industrial da semente diretamente para a lavoura, o que se traduz em economia para o produtor rural. É esse o discurso do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Semente (ABRASS), Marco Alexandre Bronson e Sousa, que defende o resgate do relacionamento de confiança entre o agricultor e o sementeiro. “O produtor de semente tem que fazer mais do que vender semente. É preciso entregar na época certa, acompanhar o plantio e posicionamento da lavoura, orientar o produtor. Não é só qualidade de semente, é preciso oferecer um serviço de qualidade desde a entrega”, conclui.

Assessoria de Imprensa (43) 99176-3374

deixe seu comentário

Edições
O que é ABRATES em Foco?

ABRATES Em Foco é uma publicação eletrônica dirigida aos nossos associados, colaboradores, parceiros, assistência técnica, produtores, estudantes, profissionais da indústria de sementes, pesquisadores, engenheiros agrônomos, lideranças, formadores de opinião e representantes da imprensa especializada, enfim, a todos aqueles que de alguma maneira fazem parte da rede brasileira de produção de sementes.

Os leitores recebem o ABRATES em Foco via e-mail e podem ler seu conteúdo no site da ABRATES.

Destinamos o ABRATES em Foco à publicação de conteúdo jornalístico, informações técnicas, notícias de interesse para a indústria de sementes, além de manter os associados atualizados quanto às ações institucionais da ABRATES.

A publicação também poderá auxiliar a divulgação dos avanços e pesquisas nas áreas de Ciência e Tecnologia, publicados no Journal of Seed Science, antiga Revista Brasileira de Sementes (RBS), e no Informativo ABRATES.

Os leitores encontram aqui um espaço para apresentar opiniões, enviar sugestões de pautas para matérias técnicas, novidades do setor, evoluções tecnológicas do segmento, entre outros assuntos.

Para contribuir, envie seu texto, sugestão ou crítica para abratesemfoco@abrates.org.br



Torne-se um associado

E integre uma importante rede de pesquisa e ciência

Associe-se

Inscreva-se agora e receba nossa newsletter