Aprofundamento em fisiologia pode melhorar qualidade de sementes brasileiras
05/02/2017

Londrina, 16/01/2014 ? O Norte do Paraná conta com mais uma edição do Curso de Fisiologia de Sementes, promovido pela Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (ABRATES) entre os dias 17 e 21 de março de 2014. Esta é a terceira vez que a entidade oferece a formação aos representantes da indústria de sementes, laboratórios, cooperativas, empresas de armazenamento e logística, estudantes e pesquisadores a fim de melhorar a qualidade das sementes produzidas no país.
 
A formação é baseada no livro ?Fisiologia de Sementes? de autoria do professor Júlio Marcos Filho (Universidade de São Paulo/ Escola Superior de Agricultura ?Luiz de Queiroz?), um dos palestrantes do curso. De acordo com Júlio: ?sem conhecer a fisiologia de sementes, não se tem bases para produzir, processar, armazenar, nem avaliar a qualidade das sementes. Enfim, o profissional fica sem ação para produzir e comercializar sementes de alta qualidade?.

fisio2014b
 Fisiologia de sementes
 
Durante a formação os professores abordarão princípios fisiológicos dos principais testes de vigor, como os de Envelhecimento Acelerado, Deterioração Controlada, Teste de Frio, Germinação a Baixa Temperatura, Comprimento de Plântula, Classificação do Vigor de Plântulas, Peso de Matéria Seca, Teste de Tetrazólio. Além do professor Júlio Marcos Filho, ministram o curso a professora Denise Cunha Fernandes dos Santos Dias, (Universidade Federal de Viçosa) e os pesquisadores Cláudio José Barbedo (Instituto de Botânica de São Paulo), Francisco Carlos Krzyzanowski (Embrapa Soja) e José de Barros França Neto (Embrapa Soja).
 
O curso permite um aprofundamento nos processos de formação, desenvolvimento, maturação e deterioração (envelhecimento) da semente, bem como os fatores que os afetam. Isso possibilita identificar com maior precisão possíveis problemas, suas causas e a tomada de decisões para solucioná-los. Os participantes terão a oportunidade de conhecer os processos fisiológicos e bioquímicos que ocorrem no interior de uma semente, desvendar o comportamento de seus componentes durante os processos de embebição, de germinação, do desenvolvimento das plântulas, além de compreender as deficiências de ordem fisiológica que caracterizam suas anormalidades.
 
A formação abrange os principais processos que causam a dormência das sementes, bem como os métodos de sua superação. Os conceitos de sementes ortodóxicas e recalcitrantes serão amplamente apresentados. Os participantes podem também se aprofundar na teoria das formas e do conteúdo de água na semente e suas interações com a longevidade durante o armazenamento, bem como seus efeitos nos processos de aeração e secagem, visando preservar seu potencial fisiológico.
 
III Curso de Fisiologia de Sementes
Auditório do Crystal Palace Hotel, em Londrina (PR).
De 17 a 21 de março de 2014
Informações e inscrições: www.abrates.org.br / (43) 3025 5120
Vagas limitadas!
 
Dulce Mazer - Jornalista - MTb 8775/PR
ABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
(43) 9908 5812