Notícia

11 Jul
  • nenhum comentário
    Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto

CBSoja - Avanços e Desafios na Produção de Sementes de Soja

A produção de sementes não ficou de fora da discussão. O tema foi debatido durante o painel “Avanços e Desafios na Produção de Sementes de Soja”.

Inovação, tecnologias digitais e cultura da soja foi a temática central do VIII Congresso Brasileiro de Soja (CBSoja), realizado pela Embrapa Soja, de 11 a 14 de junho, em Goiânia (GO), para mais 2300 congressistas. A programação científica esteve pautada nos desafios de produção da cadeia produtiva da soja e nas inovações para a cultura da soja.

A produção de sementes não ficou de fora da discussão. O tema foi debatido durante o painel “Avanços e Desafios na Produção de Sementes de Soja”. O painel, sob a moderação do pesquisador da Embrapa Soja e membro da ABRATES, Dr. Ademir Henning, contou com três palestras.  

- Nova era para produção de sementes: desafios e novas ferramentas, proferida pelo pesquisador da Embrapa Soja e diretor financeiro da ABRATES, Dr. José de Barros França-Neto.
- Inoculação de sementes: verdades e mitos, com a pesquisadora da Embrapa Soja, Drª. Mariangela Hungria.  
- Visão do produtor: desafios e gargalos, proferida pelo produtor e membro da AGROSEM, Engº. Agrº. Antônio Pimenta Martins.

A produção de sementes para grandes culturas, em especial para a soja, passou por uma grande evolução. O que possibilitou produzir semente de soja de qualidade em condições que seriam consideradas impossíveis há uns anos atrás.

França-Neto, Mariangela Hungria,
Antônio P. Martins e Ademir Henning

Dados de pesquisa demonstram que lavouras originadas com sementes de alto vigor e estabelecidas com alta plantabilidade poderão apresentar ganhos de produtividade de até 10 a 12%. “Um ganho significativo ao produtor e que vem “de graça” junto das sementes de qualidade.”, destaca Dr. França-Neto. “Resultado da congregação de diversos fatores, que envolvem as pesquisas pública e privada, culminando no desenvolvimento de novas e aprimoradas tecnologias de produção e de análise de sementes, que foram prontamente adotadas pelo setor produtivo.”

Segundo o pesquisador, ainda há um longo caminho a trilhar. Conscientizar os produtores rurais e assegurar a capacitação constante dos envolvidos na cadeia sementeira são parte crucial do desafio. “Uma grande parte dos produtores ainda encaram a sementes como mais um insumo e não prezam por sua qualidade na hora de sua aquisição. Lançam mão de sementes não oficiais e ilegais, as “sementes piratas”, que não apresentam garantia alguma, gerando grandes reduções de produtividade e muitas vezes levam ao replantio, prática essa que traz sérios prejuízos aos produtores.”

Para Dr. França-Neto, a exigência por parte dos sojicultores tem aumentado, o que estimula o produtor de semente à investir em tecnologia e qualidade. “O depoimento do produtor de sementes de soja, Antônio Pimenta, demonstrou o quanto o setor tem investido em tecnologias de produção e de análise de sementes, visando à produção de sementes da mais elevada qualidade, apresentando também novos desafios que devem ser vencidos para o aprimoramento constante dessa qualidade.”, concluiu.

Inoculação de Sementes
Para a pesquisadora Drª. Mariangela Hungria, é preciso considerar o quando já se avançou desde a década de 1950, nos esforços conjuntos para que se tivessem bactérias compatíveis com nossas condições de clima e solo. No entanto, alguns mitos e práticas podem colocar em risco esses avanços.

Por exemplo, a crença de que não é preciso inocular “áreas velhas”, cultivadas com soja e que já receberam inoculantes. “Não é verdade, pois mais de 300 ensaios de pesquisa foi demonstrado que, em média, a reinoculação anual resulta em um incremento médio de 8%. E 8% significa muito lucro para o agricultor”, explica.

Para a pesquisadora, outro hábito a ser combatido é a produção caseira de inoculantes. “O inoculante, embora seja um insumo barato, requer alta tecnologia e ambiente estéril para ser produzido. Nas análises que temos realizado de “inoculantes caseiros”, temos observado que, inclusive, existe risco à saúde”, alerta.

Drª. Mariangela Hungria alerta que é preciso ampliar o olhar e compreender que os benefícios dos microrganismos vão muito além da inoculação da soja. “A soja não cresce sozinha, ela é seguida do milho, do trigo, da braquiária, de outras culturas, enfim, tem-se que pensar no “sistema soja”. Há pesquisa e estirpes de bactérias para outras culturas. Grandes incrementos no rendimento estão comprovados para as culturas do milho, trigo e braquiárias pelo uso de Azospirillum. E, desde 2014, o uso da coinoculação da soja com Bradyrhizobium e Azospirillum tem tido grande sucesso. Se o incremento médio pela reinoculação anual da soja é de 8%, com a coinoculação esse valor sobe para 16%, um grande “micro” sucesso”, celebra.

 

deixe seu comentário

Edições
O que é ABRATES em Foco?

ABRATES Em Foco é uma publicação eletrônica dirigida aos nossos associados, colaboradores, parceiros, assistência técnica, produtores, estudantes, profissionais da indústria de sementes, pesquisadores, engenheiros agrônomos, lideranças, formadores de opinião e representantes da imprensa especializada, enfim, a todos aqueles que de alguma maneira fazem parte da rede brasileira de produção de sementes.

Os leitores recebem o ABRATES em Foco via e-mail e podem ler seu conteúdo no site da ABRATES.

Destinamos o ABRATES em Foco à publicação de conteúdo jornalístico, informações técnicas, notícias de interesse para a indústria de sementes, além de manter os associados atualizados quanto às ações institucionais da ABRATES.

A publicação também poderá auxiliar a divulgação dos avanços e pesquisas nas áreas de Ciência e Tecnologia, publicados no Journal of Seed Science, antiga Revista Brasileira de Sementes (RBS), e no Informativo ABRATES.

Os leitores encontram aqui um espaço para apresentar opiniões, enviar sugestões de pautas para matérias técnicas, novidades do setor, evoluções tecnológicas do segmento, entre outros assuntos.

Para contribuir, envie seu texto, sugestão ou crítica para abratesemfoco@abrates.org.br



Torne-se um associado

E integre uma importante rede de pesquisa e ciência

Associe-se

Inscreva-se agora e receba nossa newsletter