Conhecer fisiologia de sementes é desafio para profissionais da indústria
05/02/2017


III fisio 2
Londrina, 29/11/13 - A fim de melhorar a qualidade das sementes produzidas no país, representantes da indústria de sementes, de laboratórios, de cooperativas, de empresas de armazenamento e logística, estudantes e pesquisadores devem conhecer os processos fisiológicos e bioquímicos que ocorrem no interior de uma semente. Desvendar o comportamento dos componentes da semente durante os processos de embebição, de germinação, do desenvolvimento das plântulas, além de compreender as deficiências de ordem fisiológica que caracterizam suas anormalidades, são desafios apresentados no III Curso de Fisiologia de Sementes, que será realizado no auditório do Crystal Palace Hotel, em Londrina (PR), entre os dias 17 e 21 de março de 2014.
 
Promovido pela Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (ABRATES), o curso permite um aprofundamento nos processos de formação, desenvolvimento, maturação e deterioração (envelhecimento) da semente, bem como os fatores que os afetam. Isso possibilita identificar com maior precisão possíveis problemas, suas causas e a tomada de decisões para solucioná-los.