Notícia

21 May
  • 1 comentário(s)
    Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto

Nota de Falecimento - Dr. Cilas Pacheco Camargo

Homenagem à contribuição e ao trabalho prestado ao BR e em especial para a Ciência e a Tecnologia de Sementes pelo Dr. Cilas Pacheco Camargo

Dr. Cilas Pacheco Camargo nasceu em 07/01/1939 e era natural de Alto Garças, Mato Grosso, filho de Felício Pacheco de Camargo e Maria T. da Cruz Camargo. Sua formação pré-universitária exerceu uma influência preponderante nos rumos de sua vida acadêmica. O curso primário foi concluído em duas cidades do interior mato-grossense: Alto Garças e Rondonópolis. Por falta de opção e recursos financeiros, fez concurso e foi aprovado para estudar na conceituada Escola de Iniciação Agrícola Gustavo Dutra, em São Vicente, próxima a Cuiabá. Tudo era gratuito e o curso de Iniciação Agrícola muito conceituado em toda a rede de ensino, na época ligada à Superintendência do Ensino Agrícola e Veterinário do Ministério da Agricultura. Fez mais um concurso para prosseguir os estudos, desta feita em Pinheiral, estado do Rio de Janeiro. Aprovado, continuou e terminou o curso de Mestre Agrícola em Pinheiral e de Técnico Agrícola no Km. 47, próximo à UFRRJ. Terminou o curso para Técnico Agrícola e foi aprovado no vestibular para Agronomia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Concluiu o curso de Agronomia em 1964.

Em 1966, funcionário do Ministério da Agricultura, candidatou-se a uma bolsa de estudos na Mississippi State University (MSU), nos EUA, onde concluiu o Mestrado (na época, ausentou-se do país como funcionário público do Ministério da Agricultura) em 1971. Dez anos depois, concluiu o PhD nesta mesma Universidade estadunidense, na condição de Pesquisador da EMBRAPA.

De janeiro a junho de 1976, Cilas conduziu a área de Recursos Genéticos e Biotecnologia da EMBRAPA implementando importantes práticas. Estabeleceu procedimentos preliminares para importação, exportação e trânsito interno de germoplasma para pesquisa. Construiu uma câmara para conservação de germoplasma vegetal em longo prazo, com condições adequadas de temperatura e umidade relativa. Mais de 50 mil amostras de sementes foram armazenadas nessa câmara até a sua desativação e substituição na década de 90. Fez a adequação de espaço físico, aquisição de equipamentos e montagem dos laboratórios de Análise de Sementes e Controle de Qualidade de Acessos de Germoplasma, além da adequação de área e instrumentação do laboratório de fitopatologia visando o controle sanitário de amostras de germoplasma resultantes de introdução e intercâmbio com outras instituições. Enriqueceu o Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa com a introdução de amostras de espécies vegetais.

Dentre as experiências mais importantes ao longo da sua vida profissional, destacam-se:

• Atuar como coordenador técnico do subprograma AGIPLAN para as regiões Sul e Sudeste em todo o contexto da tecnologia de sementes.

• Ser aprovado em concurso internacional, concorrendo com mais de 60 candidatos de 21 países, para cargo de chefe de unidade de pesquisas em tecnologia de sementes do Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT), em Cali, na Colômbia, onde trabalhou durante três anos consecutivos.

• Atuar como Chefe-Geral de duas Unidades da Embrapa: Cenargen e Serviço de Produção de Sementes Básicas (SPSB).

• Ocupar a honrosa posição Presidente da Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes do Brasil (ABRATES) de 1983 a 1985.

• Ser nomeado pelo Ministro da época para assumir o cargo de Coordenador de Sementes e Mudas do Ministério da Agricultura.

• Atuar durante três anos como Professor de Análise e Melhoria de Processos na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP).

Aposentado, desfrutava da sensação de haver cumprido seu dever como homem público e depositava muita confiança no Brasil e na geração batalhadora de hoje.

Nos deixou em 4 de agosto de 2019 para, quem sabe, continuar semeando em outros ambientes.

A ABRATES, reconhece, agradece a dedicação e o trabalho prestado ao Brasil e em especial para a Ciência e a Tecnologia de Sementes Brasileira e se solidariza a família.

 

comentários (1)

José de Barros França Neto
  • 21/05/2020 01:10

O colega e Amigo Cilas teve uma gestão marcante na nossa ABRATES, deixando legados e exemplos dos quais desfrutamos até hoje! Pelo histórico de sua vida, podemos ver o quão determinado e focado ele era em tudo o que fazia!!! Deixou uma semente de saudades no coração de cada um que o conhecia!!!

deixe seu comentário



Torne-se um associado

E integre uma importante rede de pesquisa e ciência

Associe-se

Inscreva-se agora e receba nossa newsletter