Resenha: XXXI CICLO DE REUNIÕES CONJUNTAS DA CSM/PR
05/02/2017

Foz do Iguaçu, PR de 13 a 16 de agosto de 2012.

Por: Ademir Assis Henning & Fernando Augusto Henning

O evento, realizado no Rafain Palace Hotel & Convention Center reuniu cerca de 250 participantes (responsáveis técnicos, pesquisadores, fiscais estaduais e federais e empresários ligados ao negócio de sementes e mudas). A programação contou com a apresentação de várias palestras, painéis e vitrines tecnológicas. A primeira palestra proferida pelo Dr. Ivan Schuster (COODETEC) abordando o tema "FLUXO GÊNICO" despertou grande interesse por parte dos participantes devido a importância do tema.O ponto alto da palestra foi a desmistificação das contaminações atribuídas ao "fluxo gênico". O palestrante demonstrou com muita propriedade que a maioria dos problemas que ocorrem são decorrentes da falta de cuidados durante as operações de produção, colheita, transporte e armazenamento. A principal causa das contaminações de OGM´s são o resultado de mistura mecânica de sementes seja no campo (plantas voluntárias, soqueiras), falta de limpeza dos equipamentos, moegas, máquinas de beneficiamento, etc.

Na seqüencia, dia 14/08 foi apresentado o tema "FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COM OGM E NOVOS DESAFIOS pelo fiscal federal agropecuário Marcus Vinícius Segurado Coelho da CBIO/SDA. Foram abordados os aspectos gerais da Lei de Biosegurança no País, bem como órgãos e entes envolvidos destacando a importância e o papel de atuação do MAPA no que tange ao registro e fiscalização de produtos OGM´s. Foram mencionados os investimentos em pesquisa feitos pelo MAPA para a avaliação de riscos, detecção de OGM´s e capacitação de fiscais.

No painel "BIOTECNOLOGIA ? LIBERAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE NOVOS EVENTOS DE TRANSGENIA EM SOJA E OUTROS, representantes das principais empresas atuantes no mercado de sementes: Embrapa; Coodetec; Monsanto; Syngenta e Pioneer destacaram as tecnologias de transgenia atualmente utilizadas pelas empresas. Além das tecnologias desenvolvidas e amplamente utilizadas em milho e soja foram também apresentadas as perspectivas e demandas futuras de novos eventos em outras espécies.

No dia 15/08, foi apresentado o painel "SOJA LIVRE" coordenado pelo Chefe Geral da Embrapa Soja, Dr. Alexandre José Cattelan contando com a participação da ABRANGE, IMCOPA e Fundação Meridional. Ficou claro que há grande perspectiva para a expansão do mercado de grãos de soja convencional visando atender principalmente os mercados da União Européia que se mostram cada vez mais restritivos ao uso de soja OGM. Foi destacado o papel importante que a Embrapa vem desenvolvendo como a maior obtentora de cultivares de soja convencional no mercado brasileiro.

No mesmo dia à tarde, sob a coordenação do Dr. Scylla Cezar Peixoto Filho (Vice-Presidente da CSM/PR e Coordenador do XXXI Ciclo) foi realizado o painel "APRESENTAÇÃO DAS ALTERAÇÕES DISCUTIDAS E ACORDADAS NO DECRETO 5153". Esse painel contou com a participação do FFA José Neumar Francelino (DFIA/CSM/MAPA) e Claudio Manoel da Silva (ABRASEM). Foi destacada pelo representante da ABRASEM a importância de uma revisão geral da legislação e decreto da lei de sementes. Além disso, concluiu-se que as penalidades devem ser revistas, pois as mesmas são muito "pesadas" por estarem associadas ao valor do produto.

Finalmente, no dia 16/08, durante toda a manhã foi realizado o painel "TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES" que teve a coordenação do FFA José Neumar Francelino e as participações da EMBRAPA (Ademir Assis Henning); Syngenta (João Carlos Nunes); Basf (Marcelo Rodacki) Bayer (Diogo Dombroski) e FMC (Tiago Zaramella). Além das apresentações dos equipamentos modernos para o TSI foram discutidas as vantagens e desvantagens dessa tecnologia.

Dentre as vantagens ressaltou-se a qualidade superior do tratamento industrial da semente devido à precisão da dose dos produtos aplicados; a cobertura e aderência dos produtos e principalmente a segurança dos operadores que não ficam expostos aos ingredientes ativos. Além disso, a aplicação de polímeros sintéticos que melhora a cobertura da semente e garante proteção adicional às pessoas que venham manusear as sementes. Como desvantagens foram levantados diversos pontos, dentre os quais merece destaque a possível adoção de "pacotes fechados" obrigando os agricultores a utilizar inseticidas e nematicidas em áreas onde eles não tem problemas com essas pragas. Além do desperdício financeiro haveria o custo ambiental por estar colocando no meio ambiente produtos químicos sem necessidade. Foi enfatizada a importância do Responsável Técnico para decidir que ingredientes ativos são necessários e quando utilizá-los.

 

 

Continue lendo outras notícias desta edição.