Testes de tetrazólio e patologia podem reduzir custos com sementes de soja
05/02/2017

Metodologia combina testes em laboratório de qualidade fisiológica e sanitária para identificar problemas no desempenho da semente

A fim de oferecer formação para uma avaliação correta da qualidade de sementes de soja e das causas de descarte de seus lotes, devido à baixa germinação, a Embrapa Soja promove, de 17 a 21 de setembro, no complexo de laboratórios do Núcleo Tecnológico de Sementes e Grãos Dr. Nilton Pereira da Costa, em Londrina (PR), o 57º Curso Diacom: Curso de Tetrazólio e Patologia de Sementes para Diagnóstico Completo da Qualidade da Semente de Soja (Diacom).

O curso é referência nacional na área de controle de qualidade de sementes e será ministrado pelos pesquisadores Francisco Krzyzanowski (coordenador), Ademir Assis Henning, Irineu Lorini, José de Barros França Neto e Fernando Henning, que ensinam a realizar os testes com qualidade e precisão. Dirigido aos profissionais das áreas de produção e armazenagem, análise, extensão, ensino e pesquisa em sementes, o curso tem carga horária de 43h, sendo 32 de atividades práticas em laboratório.

Segundo Krzyzanowski, coordenador do curso, a partir dos testes, é possível identificar danos mecânicos, térmicos, deterioração por umidade ou causados por percevejo, além de estimar os níveis de vigor e potencial de germinação, reduzindo custos. "Nas práticas de patologia de sementes haverá treinamento quanto à instalação, condução e avaliação do teste de sanidade em soja, possibilitando a identificação das estruturas dos principais patógenos da semente, o que permite a seleção dos fungicidas adequados para o tratamento", ressalta.

O teste de tetrazólio permite conhecer a viabilidade e o vigor da semente sem as interferências do processo de infecção causado por patógenos que a acompanham. O teste de patologia de sementes, através do método do papel-de-filtro umedecido, permite identificar os principais fungos que interferem no teste padrão de germinação. É possível evitar o descarte de lotes cujas causas de baixa qualidade sejam os fungos Phomopsis sojae e Fusarium semitectum. Outro aspecto é a possibilidade de identificação dos patógenos importantes para a qualidade da semente: Phomopsis sp., Fusarium spp., Colletotrichum truncatum e Aspergillus spp. 

Dulce Mazer - Jornalista - MTb 8775/PR
ABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
Assessoria de Imprensa
(43) 3025 5120

 

Continue lendo outras notícias desta edição.